Surfing in Munich

Munich: Surf no Englischer Garten

ALEMANHA DESTINOS ESPORTES Munique
Surf em Munique

Não é atoa que a cidade de Munique, situada no sul da Alemanha e na famosa região da Baviera, está no topo dos meus destinos preferidos. Além de linda, ter a famosa Oktoberfest, a Ópera, o Bayern, ser rica em cultura e história alemã; ela também é conhecida pelo surf.

Parece estranho, uma vez que cidade não tem praia e, inclusive, está localizada a centenas de quilômetros da costa mais próxima. Acontece que em Munique o surf é praticado no rio. Isso mesmo… no RIO!

Existem alguns pontos de surf na cidade, mas é o Rio Eisbach (riacho de gelo), que atravessa o Englischer Garten (Jardim Inglês), que atrai não só surfistas, como espectadores do mundo todo. O esporte é praticado o ano todo, ou seja, nem as temperaturas negativas no inverno espantam os surfistas em Munique.

Surfing in Munich
Vista do Englischer Garten. Foto: NiKi Verdot.
Surfing in Munich
Surf em Munique – Rio Eisbach. Foto: NiKi Verdot.

A primeira vez que estive na cidade foi em 2012. Sem saber de toda esta história, me deparei com diversas pessoas debruçadas sobre a ponte Himmelreich, na ponta sul do Englischer Garten, maior parque urbano da Alemanha. Todas torcendo, filmando, fotografando, aplaudindo. Óbvio que a minha reação foi correr para ver o que estava se passando.

Fiquei tão impressionada que me lembro como se fosse hoje. Que idéia! Que criatividade! E ao mesmo tempo…. que loucura!

Surfing in Munich
Surf em Munique – Rio Eisbach. Foto: NiKi Verdot.
Surfing in Munich
Surf em Munique – Rio Eisbach. Foto: NiKi Verdot.

Embaixo da ponte existe um “degrau artificial” no fundo do rio, responsável pela formação de ondas de pouco mais de um metro. Como as ondas não são lá muito grandes, os surfistas utilizam de tábuas e cordas, que somados a forte correnteza d’água possibilitam um grande espetáculo!

+ Veja ofertas de hotel em Munique

Apesar do surf fluvial ter ficado conhecido apenas nos últimos anos, ele não é nada recente. A brincadeira surgiu em Munique em 1972, quando Aruth Pauli surfou pela primeira vez no Floßlände.

Por ser perigosa a prática do surf no rio, especialmente para os inexperientes, durante muito tempo ele foi proibido pelas autoridades; deixando de ser ilegal somente no ano de 2010. Ainda assim, há sinalização nas margens informando que nadar no Rio Eisbach é proibido e que o surf fica por conta e risco dos aventureiros.

Surf em Munique
Surf no Rio Eisbach. Foto: NiKi Verdot.

Em 2012 até os tops do WCT Gabriel Medina (campeão mundial de surf em 2014) e Adriano de Souza aproveitaram para surfar no famoso Rio Eisbach, em Munique.

Surfing in Munich
Surf em Munique – Rio Eisbach. Foto: NiKi Verdot.
Surfing in Munich
Surf em Munique – Rio Eisbach. Foto: NiKi Verdot.
Surfing in Munich
Surf em Munique – Rio Eisbach. Foto: NiKi Verdot.
Como chegar até os surfistas no Rio Eisbach – Englischer Garten

Chegar no “point” do surf não é nada difícil. Basta pegar a linha U4 ou U5 do metro (U-Bahn) até a estação Lehel; e fazer uma pequena caminhada até a rua Prinzregentenstrasse.

Logo no começo do Englischer Garten você conseguirá ver/ouvir as ondas no Rio Eisbach. Para mim, a melhor visão é de cima da ponte mesmo, bem de frente para as ondas.

Se precisar, o Museu Haus der Kunst é um ótimo ponto de referência e fica bem ao lado. Aliás, depois de conhecer o Englischer Garten, visitar esta bela galeria de arte é uma ótima opção para dar sequência no passeio.
 

Mesmo que, assim como eu, você não entenda nada sobre este esporte, o surf no Rio Eisbach definitivamente vale a pena ser visto.

 _________________________________________________________________________________

COMECE SUA VIAGEM AGORA MESMO:

Encontre passagens aéreas mais baratas

Reserve hotéis e pousadas pelos melhores preços

Veja como fazer câmbio com praticidade e menores taxas

Saia do Brasil com chip pré pago e internet 4G

Entenda tudo sobre o Seguro Viagem

Alugue carros pelos melhores preços

Economize e corte filas em passeios

 _________________________________________________________________________________

Gostou? Então compartilhe este post!

13 thoughts on “Munich: Surf no Englischer Garten

  1. Pelo seu relato é realmente lugar incrível para o surf…mesmo sem surfar consegui extrair isso também das fotos. Obrigada por compartilhar.

  2. Acho lindo e magnífico, além de muito radical. KK
    Lugar lindo para belas fotos e excelentes explorações. Beijos e sucesso

  3. Oi
    Ainda não saí do Brasil, mas por pura covardia!
    Às vezes penso em vender tudo e ir embora, quem sabe um dia eu tomo coragem?
    Amei a dica, deve ser realmente muito legal assistir as pessoas surfando no rio. E amei seu blog, vou acompanhar suas postagens.
    Beijos.

  4. Genteee nunca imaginei que dava pra surf no rio😲
    Achei muito legal…Aí que vontade que dá de ver isso bem de perto😀

  5. Oi =)
    Nossa eu nunca iria imaginar uma ‘atração’ dessas em Munique.
    Certeza que deve ser muito divertido assistir, porque surfar eu não surfo nada HAHA
    Adicionado a lista de lugares a conhecer na cidade.

    Beijos de Luz,
    Marinah

  6. Nossa, que experiência massa! Vou passar o link deste post para a minha filha e a amiga dela que curtem bastante surf. Paraabens pelo artigo e até a próxima!

  7. Qu e experiência maravilhosa, nunca soube que se podia surfar em um Rio,sempre vou a circuitos de Surf aqui no Rio de Janeiro.

  8. Gente que legal. Dá pra surfar em um rio. Muito interessante a ideia do degrau pra criar essa possibilidade.

  9. Quando as pessoas são criativas não é a falta de uma praia que vai impedir elas de surfar, achei muito interessante além de muito corajoso, ainda mais praticar o esporte no inverno.

  10. Que diferente, não sabia que existia isso. Não conheço ainda essa região, mas com certeza deve ser bem interessante para quem gosta de Surf. Belo post.

  11. Confesso que desconhecia essa maravilha :))) Fui 2 vezes a Munique, mas não sabia. Não falo surf, mas deve ser bem interessante apreciar essa arte no coração de uma cidade.

  12. Nossa… que demais! Sempre vejo fotos desse lugar e acho muito interessante essa adaptação para o surf. Adorei o relato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *