Trabalho na França: dicas para te ajudar a encontrar um emprego | 1001 Dicas de Viagem

Trabalho na França: dicas para te ajudar a encontrar um emprego

Quer trabalhar na França?

Morar na França significa ter a oportunidade de viver em dos principais países do mundo em termos de qualidade de vida, valorização profissional e pessoal. No entanto, embora o mercado de trabalho na França esteja melhor que no Brasil, não convêm ter muitas ilusões: encontrar um emprego aqui também não é tão fácil, principalmente para pessoas com pouca experiência profissional, poucas qualificações e, claro, sem fluência na língua.

O índice de desemprego no país de acordo com o Austin Rating, datado de 30/08/16, subiu para 9,9% enquanto no Brasil para 11,6%. Mas calma, não precisa se desesperar! Como eu disse inicialmente, a vida aqui é muito boa e vale a pena se esforçar para conseguir um trabalho. Por isso, preparei aqui algumas dicas que podem te ajudar a encontrar um emprego na França:

 

Visto de trabalho

Em primeiro lugar, para trabalhar na França é necessário ter a nacionalidade francesa ou de um dos países membros da Comunidade Européia. No caso de estrangeiros de outros países, é necessário ter um visto com autorização para trabalhar (“carte de séjour”); que deve ser solicitada no consultado brasileiro antes da sua viagem para a França. Para isso você precisará comprovar que já tem um trabalho no país (através de um contrato de trabalho ou uma declaração de uma empresa) ou estar acompanhando um parente francês (casamento, por exemplo).

Vale lembrar que um dos principais motivos de vistos negados na França é entrar no país com o visto de turismo para procurar emprego e, somente após, tentar solicitar o visto para trabalho.

 

Carteira de Motorista Internacional

Não que seja um item imprescindível, mas muitas vagas de emprego exigem a permissão para dirigir no país. Se você já dirige no Brasil, recomendo fazer a tradução da sua carta para ter a permissão na França também. No post “To Do List: o que resolver antes de morar fora” eu falo um pouco mais sobre ela.

 

Cadastro no Pôle-Emploi

Considerando que você já está na França e tem direito a trabalhar no país, o próximo passo é se cadastrar no site do Pôle-Emploi. Trata-se de uma agência governamental francesa que registra as pessoas desempregadas, e as ajuda a encontrar um emprego e/ou se qualificar (quando necessário). A agência foi criada em 2009, como resultando da fusão da ANPE e da UNEDIC, e hoje emprega mais de 45.000 funcionários públicos.

Foi inclusive através do Pôle-Emploi que ganhei meu curso de francês intensivo e remunerado (falarei sobre isso em um próximo post).

 

Elaboração do seu CV

O seu CV (curriculum vitae) deve ser em francês, ter no máximo duas páginas e conter suas informações de contato pessoal, suas experiências profissionais, escolaridade, idiomas, além de habilidades e interesses.

Aqui na França também é muito comum solicitarem uma carta (”lettre de motivation”) para acompanhar o CV em um pedido de emprego. Apesar de ser necessário escrever uma carta para cada empresa/vaga de emprego que você for se candidatar (o que é um certa chatisse), esse documento não é nenhum bicho de sete cabeças.

Como uma carta de motivação, ela deve estabelecer suas intenções e apresentar suas qualificações e habilidades para exercer o cargo em questão.

 

Trabalho na França: a busca pelas oportunidades

A busca por trabalho na França se faz tanto online como presencial (deixando pessoalmente seu CV + lettre de motivation nas empresas desejadas) – Foi assim que o André conseguiu emprego tanto em Toulouse quanto em Besançon.

 

Buscadores online:

No caso dos buscadores online, a vantagem é que além de se candidatar para as vagas diretamente pelo site ou e-mail, a maioria deles permite que você crie alertas para receber sobre novos postos de trabalho (com filtros específicos para função, profissão, cidade, etc).

Além do Pôle-Emploi (mencionado no início do texto), listei aqui alguns dos principais sites para buscar vagas específicas de emprego na França:

APEC

Cadremploi

CadresOnline

Directemploi

Embauche

Emploi

EURES

EuroJobs

Indeed FR

JDN

Jobs in Paris

Keljob

Monster

OptionCarriere

QAPA

Recrut

 

Sites OdeskElance e Freelancer  apresentam ainda oportunidades para quem tem inglês fluente.

 

Jornais:

Falar em jornal hoje em dia parece um pouco.. Hum, digamos, fora de época né? Rs! Mas nos jornais você pode pode encontrar a listagem das vagas abertas de emprego na sua cidade, o que já é meio caminho andado. Além disso, se quiser, você também pode colocar o seu próprio anúncio.

 

Agências de empregos temporários (Agences Interim):

Estas agências são uma excelente opção para quem precisa de um trabalho urgente, mesmo que seja de curto prazo e de qualquer espécie. Elas atuam como intermediadoras entre os candidatos e as empresas contratantes.

A maioria das Agences Interim se especializam em um campo específico, por exemplo: restauração, construção, enfermagem, contabilidade, etc. Dessa forma, vale se cadastrar em diversas delas, tanto por serem especilizadas em áreas diferentes, como por terem clientes (empresas contratantes) diferentes.

O cadastro pode ser feito online, mas é possível que você seja convidado para uma entrevista inicial, a fim de apresentar as suas experiências profissionais e aspirações. A partir daí, ele vão tentar “bater” as vagas disponíveis com o seu conjunto de habilidades.

Vale ressaltar que as vezes um contrato de trabalho de curto prazo (e prazo determinado), pode acabar se estendendo e abrindo novas possibilidades.

Agências recomendadas: Addeco e ManPower.

 

Feiras de Carreira:

O Pôle-Emploi muitas vezes entra em contato com as pessoas que estão buscando vagas de trabalho para comunicar sobre os eventos. Estas feiras são uma excelente forma de descobrir as oportunidades disponíveis. Há geralmente uma grande variedade de empregadores (representantes das empresas) para explicar sobre suas carreiras e oportunidades. Vá com diversas cópias do seu CV e vestido para impressionar, pois pode acontecer de você já ter uma entrevista no local.

 

Networking:

Assim como no Brasil, terQI” (quem indica) é tudo nessa vida! Então converse com amigos, familiares e contatos de negócios para ver se de repente alguém tem conexões na área que você quer trabalhar.

 

Atualmente, a maioria dos trabalhadores na França estão no setor de serviços (restaurantes, lojas, e hóteis, por exemplo, que sempre estão precisando de gente) e no setor de agricultura, mas mesmo que você não seja desses setores, o importante é não desistir e fazer tudo o que estiver ao seu alcance.

Bom, espero ter ajudado de alguma forma!

 

Bonne chance!

 _________________________________________________________________________________

COMECE SUA VIAGEM AGORA MESMO:

Encontre passagens aéreas mais baratas pelo Decolar

Reserve hotéis pelos melhores preços através do Booking.com

Quer comprar moedas? Encontrei o Melhor Câmbio da sua cidade 

Câmbio com praticidade e menores taxas pelo Transferwise

Saia do Brasil com chip pré pago e internet 4G da Travel Mobile

Alugue carros pelos melhores preços pela RentCars

Economize e corte filas em passeios pela Tickerbar

Faça uma cotação para o seu Seguro Viagem

Gostou? Então compartilhe este post!

NiKi Verdot

NiKi Verdot, além de ser uma apaixonada pela vida, considera-se uma viciada em viagens. Mal acaba de chegar de uma e já está pensando nas próximas (no plural, é claro!). Tem o passaporte carimbado em 16 países (tendo passado por mais de 140 cidades) e adora compartilhar suas fotos, dicas e experiências, com o objetivo de ajudar a todos que, assim como ela, são viciados em viagens.

2 comentários em “Trabalho na França: dicas para te ajudar a encontrar um emprego

  • 22 de março de 2017 em 02:51
    Permalink

    Oi, Niki, como vai?
    Já te enchi a paciência uma outra vez com informações por aqui. Já estou há um mês em Toulouse e agora estou procurando emprego de fato. Mas queria muito saber sobre este curso intensivo de francês pela Pôle Emploi. Você foi lá na agência, pediu? Ou foi oferecido para você pela internet?
    Acho que vou fazer meu cadastro pela internet hoje mesmo. Ah! Queria saber qual trabalho você arranjou aqui em Toulouse. Sou arquiteta mas pela falta de língua, acho que vou pra algo tipo au pair.
    Beijos e obrigada!

    Resposta
    • 23 de março de 2017 em 17:18
      Permalink

      Olá Luísa, tudo bem? Imagina, pode entrar em contato sempre que precisar! 🙂 O curso eu fiz pelo Pôle Emploi, mas não é você que escolhe. Após se inscrever, você vai ser convocada para conversar com uma assistente social. Ela vai fazer uma avaliação da sua condição e ver o que é melhor para você. Podem te oferecer curso de francês ou um curso técnico específico em alguma área que você queira seguir, ou mesmo nada disso, apenas ajuda para arrumar emprego… Meu marido, por exemplo, embora seja brasileiro, já tinha um francês legal e, portanto, não pode fazer curso nenhum – Mesmo ele querendo muito para melhorar o francês dele. Nós viemos sem ter feito a equivalência dos nosso diplomas, então não tivemos muita opção a não ser procurar trabalho em qualquer área disponível. Ele começou trabalhando em Hotel, como recepcionista e valet. Hotéis e lojas estão sempre procurando por funcionários. Em Toulouse tem bastante escritório de arquitetura, acho que vale a pena dar uma olhada mesmo que você não tenha um francês muito bom ainda… Reparamos nisso, pois meu cunhado é arquiteto. Você pode recorrer para uma outra opção: aulas de francês gratuitas para imigrantes. Cheguei a visitar várias delas em Toulouse, mas como tenho cidadania francesa não me deixaram fazer. Vá no CCAS e peça a relação das escolas que dão curso de francês para imigrantes – CCAS (2 bis Rue de Belfort, 31000 Toulouse). Tem para vários níveis! 😉

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!