Checklist o que fazer antes de ir morar fora | 1001 Dicas de Viagem

To Do List: O que resolver antes de ir morar fora

Checklist: o que fazer antes de ir morar fora

Depois que você já decidiu o seu destino e resolveu as questões de visto e passagens aéreas, o tempo que sobra passa voando até a data da viagem. A mudança dá bastante trabalho antes mesmo da partida: é tanta coisa para finalizar e resolver antes de ir morar fora que sem um determinado planejamento, paciência e dedicação, você pode acabar não tendo tempo de fazer tudo. E depois ainda pode acabar precisando de alguma coisa (experiência própria, hein?). 

Segue aqui então meu “To Do List” – uma lista com uma séria de coisas que me programei para resolver antes de partir (com alguns itens que também incluí após a mudança):

Documentação

Faço isso desde…. Sempre! E é realmente muito importante e prático. Prepare uma pastinha de documentos para carregar na sua bagagem de mão (aquela que não é despachada e você guarda no compartimento acima do seu assento no avião) com, no mínimo, os itens abaixo, visto que TODOS eles podem ser importantes na hora de passar pela imigração: 

 Passaporte (que já deve estar resolvido);

Bilhetes das passagens (de ida e volta para o Brasil, se for o caso); 

Declaração de suporte financeiro (solicite para o gerente do seu banco);

Comprovante de aceitação de colégio ou universidade (se for o caso);

– Endereço do lugar onde você vai  ficar e o nome/telefone dos responsáveis pela hospedagem;

– Cópia da Certidão de Casamento – original e transcrição (caso seja um visto de cônjuge, como foi o caso do meu marido);

– Comprovante do Seguro Saúde (obrigatório para os primeiros três meses em diversos países); e

– Carteirinha de Vacinação original junto com o Certificado Internacional de Vacinação (leia o post “Saúde do Viajante: Orientações”), uma vez que a nossa carteirinha não é considerada fora do país. 

Uma segunda pasta (maior) que também é importante para carregar na sua bagagem de mão, deve conter:

– Todas as traduções juramentadas de diplomas e históricos escolares;

– Se for seu caso, certificados com resultados em exames de proficiência, por exemplo, em inglês (como TOEFL ou IELTS) ou francês (DELF);

Carteira de motorista renovada (original) e a Permissão Internacional para Dirigir (PID) – tradução da sua CNH Brasileira (a emissão é feita pelos departamentos de trânsito (Detrans) de cada Estado, e é totalmente necessária para dirigir por estradas fora do país com tranquilidade e dentro da lei), além de documentos como RG, CPF, Título de Eleitor, Certidão de Nascimento, e outros documentos que talvez nem sejam tão importantes em outro país, mas que é sempre bom ter com você para alguma situação que possa surgir. Eu pessoalmente achei que não precisaria da minha Certidão de Nascimento do Brasil, já que tenho cidadania francesa, mas por incrível que pareça, na hora de solicitar a Carte Vitale (cartão de Seguro Saúde) aqui na França, foi exigido e só consegui fazer após receber o documento escaneado pela minha mãe. Rs.. 

Backup | Documentos digitalizados

Escaneie TODOS os documentos separados anteriormente e tenha um backup com você. Além de ser uma garantia caso perca, também vai facilitar muita a sua vida para cadastros online ou novas impressões.

Recomendo deixar também um pen drive como cópia com algum responsável no Brasil, pois caso seja necessário (nunca se sabe), ele terá acesso e poderá te reenviar. Deixe para esta pessoa também um arquivo com todas as informações que você tiver sobre a sua nova vida fora do país: endereço e telefone de onde vai ficar, endereço e telefone de algum conhecido, contatos do consulado brasileiro mais próximo, endereço e telefone de onde vai estudar (se for o caso) e quaisquer outras informações que você achar que podem ser importantes.

Procuração e Banco no Brasil

Faça uma procuração de plenos poderes reconhecida em cartório para deixar com alguém de sua confiança; assim esta pessoa poderá resolver quaisquer problemas na sua ausência. No caso da procuração para movimentação de contas bancárias é necessário que ela seja específica para o seu banco, descrevendo tudo que a pessoa vai poder fazer na sua ausência. Eu conversei com o meu gerente e avisei que viria para a França e foi ele, inclusive, que me instruiu sobre essa procuração para a minha mãe poder cuidar da minha conta.

Também é bom avisá-lo para que sua movimentação em outro país não seja uma surpresa e, eventualmente, seu cartão seja bloqueado quando você mais precisar (também já passei por isto e não foi nada legal! Rs!). Além disso, é importante ter um número de telefone para o qual possa ligar caso tenha alguma problema e saber acessar à sua conta do Brasil pela internet para acompanhar as movimentações.

Acho válido também fazer uma procuração para representá-lo perante qualquer órgão arrecadador ou fiscalizador do Imposto de Renda, fazer sua declaração de renda, declarar bens, etc.

Troca, envio e recebimento de dinheiro

Sugiro que vá acompanhando a cotação da moeda do país que você vai viver com bastante antecedência. O ideal é trocar um pouquinho de dinheiro a cada mês para amenizar o “sobe e desce” da moeda (e também para não deixar para última hora).

Na Europa, por exemplo, você pode entrar com até EUR $10.000,00 sem declarar, mas só pode sair do Brasil com até R$ 10.000,00. Tem gente que arrisca e sai com bem mais que isso, afinal, a chance de ser pego é bem pequena, mas eu sou muito certinha (ou medrosa?) e nunca arrisquei passar do limite. O importante é levar o máximo que você puder ou tiver coragem, porque é importante ter dinheiro para chegar, mas também não é a coisa mais segura do mundo ficar andando com bastante dinheiro no porta-dólar né? (abrir conta em outro país não é um processo tão rápido assim). Antigamente esta também era a forma mais barata de levar dinheiro, uma vez que para transferir era necessário pagar altas taxas, mas hoje com o Transferwise, por exemplo, a transferência acaba saindo o mesmo preço (ou mais barato) do que trocar em uma casa de câmbio.

Bom, mesmo que prefira dinheiro vivo, você também não vai poder levar todo o seu dinheiro na mão e por isso já é bom pensar na melhor forma de fazer transferências quando for necessário. Alguns bancos fazem transferências com boas taxas, outros não. Algumas pessoas preferem abrir conta em um banco local (Santander, HSBC, etc.) e depositar lá para transferir direto, outras mandam pela Western Union (tomei um golpe por este site e, portanto, não considero um método seguro). Para mim, a forma mais confiável e com melhor preço hoje em dia é o Transferwise realmente, mas o importante é pesquisar bem e ver o que funciona melhor para você.

Hospedagem temporária

Quando você chegar na cidade que escolheu, vai precisar de um lugar para ficar. Alugar o seu imóvel fixo sem ver é muito arriscado (eu, por exemplo, tomei um baita golpe antes de partir.. Hunf!), então a melhor pedida é alugar um quarto ou um apartamento por pelo menos um mês e, somente quando já estiver na cidade procurar e alugar um lugar permanente. Dependendo do país, alugar um imóvel também não vai ser a coisa mais fácil do mundo. Leia o post que fiz contando sobre a dificuldade que é para alugar um imóvel na França .

Para aluguel temporário eu indico o AirBnb (como mencionei acima, já tive muito problema com sites desconhecidos).

Check-up completo

Antes de viajar ou mesmo se mudar, sempre sugiro fazer um Seguro Viagem para se garantir até poder começar a usar o seguro de saúde público (caso tenha direito por estar empregado ou por ter outra cidadania). Neste caso, mesmo estando coberto pelo Seguro, que geralmente só cobre as despesas com emergências; recomendo que passe em um médico de confiança e faça um check-up completo (médico, odontológico, além de exames laboratoriais). É super importante checar se está tudo em dia antes de viajar. Isso vale principalmente para tratamentos mais específicos como, por exemplo, gastrite, enxaqueca, depressão, etc. 

No caso das mulheres é sempre indicado visitar seu ginecologista também. Parece que na maioria dos países é necessário apresentar uma receita médica local para a compra do anticoncepcional. Verifique o que precisará fazer no seu local de destino. Boa parte das brasileiras acabam levando várias cartelas para usar por um determinado tempo, e uma receita médica em inglês para justificar.

Leve também seus exames médicos anteriores, como tomografias, exames de sangue, Raio-X, etc. Quando você menos esperar eles podem ser necessários.

Medicamentos e Receitas

Vale lembrar que muitos países exigem receita médica para a compra da maioria dos medicamentos que estamos acostumados a comprar tranquilamente no Brasil, então levar um pequeno estoque para se garantir é bem importante. Por isso, prepare uma caixinha com os remédios que você está mais acostumado e sabe que pode precisar. Só não esqueça de colocá-los na mala a ser despachada, ok? Se eles estiverem na bagagem de mão você corre o risco de precisar descartá-los quando passar pelo Raio-X.

Remédios mais usuais, como àqueles para dor de cabeça e anti-inflamatórios costumam ser mais fáceis de encontrar nas farmácias. No entanto, se eventualmente você utiliza Dorflex, Engov ou Omeprazol, por exemplo, sugiro que leve na sua mala.

Outra coisa: se você toma remédios para tratamentos específicos, como por exemplo, depressão ou tireóide, lembre-se que é indispensável levar uma receita traduzida, assinada e carimbada pelo seu médico brasileiro para justificar a quantidade de remédios que está levando, caso seja parado na imigração. Alguns países podem pedir também que você tire um Raio-X do tórax para comprovar que você não tem tuberculose, além da Carteira de Vacinação que você já colocou na sua pastinha não é? 🙂

Devolver apartamento alugado | Alugar imóvel próprio

Se você mora de aluguel, é sempre bom avisar com antecedência quando pretende sair e combinar direitinho a data que pretende desocupar o imóvel para evitar ter de pagar multa contratual. Caso tenha imóvel próprio, se optar por deixar alugado, procure uma imobiliária de confiança com bastante antecedência para conseguir resolver todas as questões burocráticas de contrato e para que tenha alguém para cuidar do imóvel na sua ausência (mais uma Procuração a ser feita e registrada no Cartório). No meu caso, eu e meu marido acabamos morando os últimos 3 meses no Brasil em um quartinho na casa dos meus país para que o apartamento ficasse em ordem e pudesse ser visitado e alugado antes da nossa viagem. Para nossa sorte conseguimos assinar o contrato um dia antes da viagem! 🙂 

Se você vai vender seus móveis e utensílios, também recomendo que comece a ver isso com bastante antecedência para dar tempo de vender tudo. As vezes é difícil nos desapegarmos de algumas coisas, né? Mas se parar para pensar vai ver que você guarda muitas coisas que não utiliza mais e que, provavelmente também não poderá se quer levar na sua viagem. Dessa forma, venda tudo o que puder ou doe para quem precisa. Uma sessão desapego faz bem para a alma! Rs!

Quite e cancele todas as contas que estiverem no seu nome

Se possível, quite todas as suas dívidas e cancele/transfira todos os serviços que estiverem em seu nome. Contas de internet, água, luz, etc. são excelentes itens para ficar atento. Ah, e não se esqueça de cancelar sua conta do celular, hein? Se preferir você pode migrar o seu número para pré-pago e usá-lo quando voltar ao Brasil. Você também pode pedir um chip pré-pago internacional para já chegar em seu destino com um pacote de dados e um telefone para entrar em contato com quem for necessário. 

Arrume as malas com calma

Para alguns é a parte boa, para outros, não tão boa assim né? Rs! Bom, reserve um tempo para pensar bem no que vai querer levar; no que vai deixar, e o que vai doar. Comece a arrumar as suas malas com antecedência e bastante calma. Nem sempre alguém vai poder enviar para você o que você esqueceu. Além disso, você pode pensar em levar muitas coisas e ao terminar ver que a mala ficou muito pesada, e mudar de idéia.. Rs! Eu refiz as minhas malas 3 vezes até acertar tudo, pois estava com um pequeno problema de desapego na época. 😛

Se no seu caso a mudança não for permanente (como a minha), pense no tempo que vai passar fora e veja quais estações do ano / clima que você enfrentará no novo país.

Despedidas

Independente se você é muito apegado ou não, como você vai passar uma temporada longa fora do Brasil, recomendo fortemente se despedir de tudo aquilo que gosta: pessoas, lugares e comidas. 
Reserve um tempo para encontrar os amigos e visitar os familiares – aproveite e faça um Skype para seus avós e para seus pais e ensine-os a mexer nele, você vai ver como isso ajuda a diminuir um pouco a distância entre vocês. A gente fica sempre adiando os encontros quando mora perto, mas quando você está longe acaba se arrependendo. Então marque coisas com as pessoas que você gosta e sente falta antes de ir. 

É, vendo assim pode parecer pouca coisa, mais pode ser difícil ter tempo de ver tudo isto; especialmente se deixar para última hora. Além disso, lembre-se que muitos destes ítens exigem agendamento com outras pessoas/órgãos, o que pode atrapalhar bastante um cronograma apertado. Por isso a dica principal é: arrume tudo com o máximo de tempo possível. 

 

E aí, você tem mais algum item importante que esqueci na minha To Do List? Se tiver, me avise que vou adorar saber! 

_________________________________________________________________________________

COMECE SUA VIAGEM AGORA MESMO:

Encontre passagens aéreas mais baratas pelo Decolar

Reserve hotéis pelos melhores preços através do Booking.com

Quer comprar moedas? Encontrei o Melhor Câmbio da sua cidade 

Câmbio com praticidade e menores taxas pelo Transferwise

Saia do Brasil com chip pré pago e internet 4G da Travel Mobile

Alugue carros pelos melhores preços pela RentCars

Economize e corte filas em passeios pela Tickerbar

Faça uma cotação para o seu Seguro Viagem

Gostou? Então compartilhe este post!

NiKi Verdot

NiKi Verdot, além de ser uma apaixonada pela vida, considera-se uma viciada em viagens. Mal acaba de chegar de uma e já está pensando nas próximas (no plural, é claro!). Tem o passaporte carimbado em 16 países (tendo passado por mais de 140 cidades) e adora compartilhar suas fotos, dicas e experiências, com o objetivo de ajudar a todos que, assim como ela, são viciados em viagens.

20 comentários em “To Do List: O que resolver antes de ir morar fora

  • 3 de agosto de 2017 em 22:08
    Permalink

    Oi Niki. Muito bom seu post para quem vem passar uma temporada fora. Só queria acrescentar duas coisas que aconteceram comigo. Eu trouxe as traduções juramentadas, mas elas não valeram aqui. Inclusive, quando eu renovava visto, eles pediam a tradução (diplomas, certidão de nascimento) feita por um profissional daqui da França. Quando levei meu diploma brasileiro na universidade daqui, aconteceu a mesma coisa. E, também, dependendo do organismo, eles não aceitam as traduções e nem os documentos muito antigos. Foi o que aconteceu com a minha certidão de nascimento na Assurance Maladie e o documento só tinha 1 ano.

    Resposta
    • 4 de agosto de 2017 em 12:34
      Permalink

      Nossa sério!? Fiquei chocada! Mas será que o tradutor era juramentado e reconhecido na França? Caramba! Eu ia ficar muito p*** da vida. Também estou na França, mas não tivemos problemas com tradução não… Só que sabe como é a vida aqui né, cada dia é um documento que pedem traduzido, então cada semana precisamos traduzir MAIS coisas do que o previsto antes da mudança… Sorte que conhecemos uma brasileira que faz para nós tudo direitinho por aqui 🙂

      Resposta
  • 31 de julho de 2017 em 10:23
    Permalink

    nuss vim morar fora e faltou um monte de coisa, muitos documentos, acho que vou ter q voltar haeuaheu vish

    Resposta
  • 31 de julho de 2017 em 08:49
    Permalink

    oi Niki… se um dia eu pensar em morar fora do Brasil (acho pouco provável) já sei onde venho buscar ajuda! Essa lista do que fazer é uma ajuda e tanto, principalmente se o viajante em questão for desorganizado e bagunçado como eu! Muito bom! Parabéns! 🙂

    Resposta
  • 30 de julho de 2017 em 22:00
    Permalink

    Ótimo post! Dicas super importantes e necessárias para quem vai sair do país. A parte da procuração talvez seja a que o pessoal esqueça de fazer e com certeza evita um baita stress.

    Resposta
  • 30 de julho de 2017 em 19:01
    Permalink

    Agora é só seguir cada uma das sugestões e deixa de haver desculpa para viajar 🙂 Parabéns, uma partilha muito completa. Ajuda toda a gente a organizar-se para uma longaaaaaaaaaaa viagem.

    Resposta
  • 30 de julho de 2017 em 18:44
    Permalink

    Nossa, ler esse post foi uma verdadeira viagem no tempo! Lembrei de ter seguido praticamente todos esses passos antes da minha saída do Brasil. Era muita ansiedade envolvida!

    Resposta
  • 30 de julho de 2017 em 17:56
    Permalink

    Parabéns pela descrição tão completa!
    Fizemos isso na nossa saída do Brasil… foram 7 meses de organização… mas vale a pena não ficar com pendências e preocupações. Depois… é só manter as coisas em dia e atualizar os documentos que vencem. rs

    Resposta
  • 29 de julho de 2017 em 17:26
    Permalink

    Muito útil esse check list!!! Morar fora do país demanda um bom planejamento mesmo, pois tem muitas coisas para organizar…

    Resposta
  • 29 de julho de 2017 em 17:11
    Permalink

    Nossa… que post com ótimas dicas e informações valiosas para quem pretende morar em outro país. Muito bom poder ter um check list desse a mãos para não se enrolar e nem esquecer de nenhum item. Bjs

    Resposta
  • 29 de julho de 2017 em 13:02
    Permalink

    Muito boa a matéria, já vou deixar salva aqui pra quando precisar. Parabéns pelo site!

    Resposta
  • 4 de julho de 2017 em 19:08
    Permalink

    Post maravilhoso com dicas imprescindíveis para quem vai morar fora. Adorei ler. Parabéns!

    Resposta
  • 3 de julho de 2017 em 11:56
    Permalink

    Ótimas dicas! Eu resolvi tudo em menos de 2 semanas pois era o tempo que eu tinha! Foi corrido, mas deu tudo certo! Foram muitas despedidas e lá se vão 25 anos…

    Resposta
  • 3 de julho de 2017 em 09:53
    Permalink

    Ameiii seu post, super explicadinho! Querem me dera que tivesse lido antes de viajar rs
    Mas eu acrescento uma coisa: você pode sair com mais de 10.000 reais legalmente sim. Basta declarar antes o valor no site da receita federal (tem app também) e no dia do embarque apresentar a declaração na sala da receita do aeroporto (se não me engano).
    Bjs
    Dani Bispo
    abolonhesa.com

    Resposta
  • 2 de julho de 2017 em 21:48
    Permalink

    Ótimo post! Pontos super importantes pra quem vai deixar o país e tenho certeza que esse post vai ajudar bastante.

    Resposta
  • 2 de julho de 2017 em 15:35
    Permalink

    Post muito útil a quem tem isso em mente, nós por cá poderemos ter que nos mudar, quem sabe…Não é por muita vontade nossa mas a vida é assim…

    Resposta
  • 2 de julho de 2017 em 14:41
    Permalink

    Nossa, que post completo. Eu, particularmente, acho muito importante a dica sobre o check up completo, saúde fora do Brasil é bem cara, melhor viajar sabendo que está tudo ok, né? !

    Resposta
  • 2 de julho de 2017 em 12:45
    Permalink

    Que post mais completo! Já favoritei!
    O sonho de morar mora tá de pé. Quem sabe não consigo para o ano que vem?
    Adorei o artigo, parabéns!

    Resposta
  • 2 de julho de 2017 em 08:07
    Permalink

    Nossa, me lembro bem desse ritual todo, mas confesso que nao me organizei tao bem. Até hoje tenho muitos documentos pendentes rs, depois que fui morar na Australia mas acabei vindo parar na Suíça. Excelente post.

    Abraços!

    Resposta
  • 1 de julho de 2017 em 17:32
    Permalink

    Vim morar no Chile e ainda tenho mil coisas pendentes dessa lista… se eu tivesse visto antes esse post, minha vida ia ter sido mais fácil (até hj não tenho os diplomas hahaha)

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!