Custo de vida na França

Quanto custa morar na França?

VIDA NA FRANÇA

A França está há muitos anos entre os melhores países do mundo para se viver. Não só a qualidade de vida dos franceses, como sua grande economia acabam por despertar o interesse de muitos estrangeiros. E, claro, dentre estes, muitos brasileiros! Mais você sabe quanto custa morar na França?

Muita gente não tem nem idéia e, por isso, hoje eu vim contar para vocês um pouquinho sobre o custo de vida na França; mais especificamente em Paris e Dijon, uma cidadezinha mais ao leste do país e que escolhi para morar.

Para elaborar este texto para vocês me baseei em alguns dos itens mais importantes e que também que podem pesar mais no final do mês.

Quanto preciso ganhar para morar na França
Centro de Dijon, França. Foto: NiKi Verdot. 
Informações básicas

A França faz parte da União Europeia, que é constituída por mais outros 27 países. Isso significa, dentre outras coisas, que o país também utiliza o euro como moeda única.

1 euro = 3,90 reais (conversão feita pelo Banco Central do Brasil no dia 29 de janeiro de 2018)

+ Envie dinheiro para o exterior com segurança e menores taxas

Moradia / Aluguel

Independente da cidade, acredito que o aluguel é o item que mais pesa em qualquer orçamento. Segundo o último estudo realizados pelo “Le Figaro” (datado de janeiro de 2017, mas com referente ao ano de 2016), o preço médio do aluguel na França é de 628,00€ por mês para viver em um apartamento de aproximadamente 42 m² (já incluindo às taxas, digamos de “condomínio”, água e gás). Este valor varia, obviamente, de cidade para cidade. Para se ter uma idéia, geralmente, com 628,00€ por mês você consegue alugar um Studio de 16 m² em Paris, enquanto em cidades como St-Étienne ou Nancy você consegue alugar um apartamento de 3 dormitórios com quase 70 m².

Quanto custa morar na França
Foto 2 – Fonte: Le Figaro, 2017.

Em Dijon, por sua vez, com este valor eu poderia morar em apartamento de 3 quartos com mais de 70 m², e localizado bem no centro da cidade. A diferença do custo de vida em Paris para outras cidades francesas é realmente exorbitante; e por isso, muitas pessoas acabam optando por morar em cidades ao redor da capital, onde os apartamentos são bem maiores e custam a metade do preço.

Vale lembrar que o ideal é que o valor do aluguel não ultrapasse 1/3, ou seja, 33%, da sua renda mensal.

+ Como alugar apartamento na França

Transporte Público

O transporte público na França é incrível, além de geralmente fazer uma excelente cobertura de toda a cidade, eles são rápidos e eficientes. Por conta disso, o metrô de Paris já chegou a ser considerado, inclusive, como o melhor do mundo. O preço do transporte também varia de cidade para cidade, mas geralmente oferecem bilhetes/cartões unitários, mensais ou anuais (até mesmo em Besançon, que é uma cidade bem pequena). Crianças, estudantes até 26 anos e idosos ainda costumam ter tarifas reduzidas.

Em Paris o custo do bilhete de metrô unitário custa 1,90€ por percurso, mas quem mora na cidade pode adquirir o cartão de transportes Navigo, com a possibilidade de pagar 75,20€ no pacote mensal (para todas as zonas) ou 827,20€ no pacote anual (também para todas as zonas). Dessa forma, o cartão Navigo permite utilizar de forma ilimitada o trem, metrô e ônibus por toda Île-de-France (grande Paris).

Em Dijon o sistema funciona da mesma forma para quem tem o cartão de transporte Divia. Eu e meu marido gastamos 80,00€, por mês com transporte público, ou seja, 40,00€ por mês/por pessoa. Com o cartão mensal, assim como em Paris, temos a possibilidade de utilizar de forma ilimitada os transportes da cidade (ônibus e tram). Em Dijon, o bilhete com 10 passagens de até 1 hora custa 13,00€, enquanto o unitário custa 1,60€. Todos sempre servindo tanto para ônibus quanto para o tram durante esta 1 hora.

Dependendo da distância entre o local que você vive e o seu trabalho é possível ainda que o empregador reembolse metade do seu gasto com transporte na folha de pagamento.

Custo de vida na França
Tram de Dijon. Foto: NiKi Verdot.
Compras de supermercado 

Com supermercado, eu e meu marido gastamos cerca de 200,00€ por mês. Acredito que este valor seja até muito para a maioria das algumas pessoas, mas confesso que nós gastamos bastante com cervejas, chocolates, vinhos e pizzas. Ainda assim, com 50,00€ semanais abastecemos a geladeira para 2 pessoas com frutas, legumes, verduras, leite, proteínas (geralmente frango e porco que são mais baratos) e guloseimas.

Alguns produtos podem sofrer uma diferença grande de preço quando comparados entre os diferentes supermercados, assim como há uma grande diferença entre um mesmo produto de diferentes marcas. Uma dica boa é sempre procurar pela marca própria do supermercado – eles costumam ser muito baratos, apresentam geralmente promoções específicas e são de ótima qualidade.

Outra dica é fazer a “carte de fidelité” (cartão fidelidade) de todos os supermercados que você possa um dia utilizar. Com elas você pode aproveitar descontos especiais e até valores bônus que podem ser utilizados para reduzir o valor da sua compra.

+ Saber tudo sobre as “Cartes de Fidelité”

Educação

A educação básica para crianças na França é gratuita e obrigatória; você precisará pagar apenas a cantina (em média 60,00€ por mês/por criança). A maioria das Universidades também são gratuitas e financiadas pelo Estado, mas ainda é preciso pagar a taxa de matrícula, que varia de 189,00€ à 610,00€, de acordo com o nível de estudo. No caso de um curso superior em uma instituição privada (escolas especializadas, como, por exemplo, a Escola de Engenharia ou a Escola do Comércio) o custo pode variar de 3.000,00€ à 10.000,00€ por ano.

Custo de vida na França
Université de Bourgogne em Dijon. Foto: NiKi Verdot.
Saúde 

O sistema de saúde na França é público e muito bom, mas é muito importante ter também o “Mutuelle” – equivalente à um plano de saúde particular. Caso tenha apenas a “Carte Vitale”, terá direito ao reembolso de 70% do custo das consultas e despesas de hospitalização; além do reembolso total ou parcial da maioria dos remédios comprados nas farmácias com receitas médicas. As pessoas que não tem condições de pagar (comprovadamente) têm direito ao CMU; e neste caso o Estado cobre 100% das despesas médicas.

Quem trabalha costuma ter este plano de saúde particular como complemento, que serve justamente para arcar com as despesas dos 30% restantes. Em relação à este plano, nós pagamos aqui em Dijon 27,00€ por mês para o casal; mas este custo também varia de empresa para empresa e do que está incluso ou não na cobertura.

De modo geral, após 90 dias na França, todo cidadão residente no país precisa solicitar a sua “Carte Vitale” e escolher um clínico geral. Caso precisa de qualquer consulta, que não seja um caso de emergência, você deverá consultar primeiramente o seu médico escolhido. Após análise e diagnóstico, se necessário, ele te conduzirá à um especialista. A menos que você tenha um cartão de isenção (como por exemplo, o CMU), deverá pagar 25,00€ pela consulta.

+ Tudo sobre o sistema de saúde na França

Serviços

Assim como em diversos países europeus, os franceses valorizam bem seu tempo de trabalho e, por isso, independente do serviço ou da profissão, contratar um profissional específico pode ser bem caro. Dessa forma, não é muito comum contratar pessoas para fazerem os serviços de mudança, pintura, faxina, manicure, entre outros. Por aqui, geralmente, todo mundo precisa por a mão na massa e fazer suas próprias tarefas. Eu por exemplo já virei especialista em pintura de apartamentos e construção de móveis! =P

Os serviços de telefone e internet, por exemplo, são baratos e de ótima qualidade. Na operadora Free, um plano individual de celular sai por 19,90€ e te dá direito a SMS ilimitados, chamadas gratuitas para celulares e fixos na França e diversos países (incluindo fixo no Brasil e celulares dos EUA), e ainda 50 Gb de internet 4G. Já o pacote de telefone fixo e Wi-Fi sai por 29,90€; e neste caso o plano do celular cai para 15,90€. Existem operadoras ainda mais baratas, mas que dizem ter um serviço de mais baixa qualidade.

Lazer

Os franceses adoram aproveitar o dia ao ar livre, principalmente se tiver um solzinho. Correr ou caminhar no parque, fazer um piquenique, ou simplesmente deitar na beira do lago já é um delicioso passatempo.

Custo de vida em Paris
Pessoal aproveitando o Sol em Paris. Foto: NiKi Verdot.

Visitar museus e ir ao cinema também são programas que agradam a muitos, principalmente aos domingos já que todo o restante do comércio (exceto os restaurantes e o cinema) estão fechados. Em Dijon todos os museus são gratuitos nas segundas-feiras. Já o ingresso individual e “preço cheio” para o cinema custa 8,00€.

No verão (que também é o período de férias escolar), além das piscinas públicas é comum haverem diversas atividades e programas diferentes, em sua maioria ao ar livre e gratuitas.

Custo de vida na França
No verão são programadas inúmeras atividades para aproveitar a “praia” de Dijon. Foto: NiKi Verdot.

Eu e meu marido também adoramos sair para comer fora e tomar uma cervejinha. Com 20,00€ por pessoa pode-se comer muito bem e em ótimos restaurantes. A cerveja no bar ou no restaurante custa, em média, cerca de 3,90€. 

 + Ingresso para visitar as atrações de Paris sem pegar filas

Salário

Na França o salário mínimo mensal bruto para uma jornada de trabalho de 35 horas semanais é de 1.480,27€; sendo o valor líquido (com os impostos descontados) de 1.153,00€. A base dos contratos, no entanto, é a quantidade de horas trabalhadas. Dessa forma, é importante destacar que o valor da hora trabalhada é equivalente à 9,76€.

Por aqui não existe muita distinção entre diplomas ou profissões. Claro que quanto maior o seu nível de estudo, maiores são as chances de conseguir um emprego mais específico/técnico e, consequentemente, maior a chance de ganhar um salário mais alto que o padrão. A maior dificuldade, no entanto, é conseguir um contrato de trabalho por tempo indeterminado (chamado de “CDI”) e de 35 horas semanais.

+ Dicas para te ajudar a arrumar um trabalho na França

Impostos 

O sistema tributário na França é extremamente complexo, pois os valores incidentes variam não só em função do salário (quanto maior, mais alto será o imposto), como também em função da situação social de cada um. Para você ter uma idéia, uma pessoa que recebe um salário mínimo mensal, mas que tem um filho, pode ser isenta deste imposto; enquanto uma pessoa que vive sozinha e recebe um pouco mais que o salário mínimo terá que pagar, em média, o valor equivalente à um salário mínimo por ano.

Como todo mundo, os franceses reclamam sempre que pagam muito pelos impostos. Mas diferentemente do Brasil, aqui nós pagamos imposto, mas “recebemos” um retorno. Ou seja, realmente ocorrem melhorias na educação, na saúde, na segurança, no transporte público e, em especial no que se refere à ajuda social.

Vale lembrar que além do imposto incidente no salário, por aqui também é necessário pagar uma vez por ano (em outubro) uma taxa de habitação, semelhante ao nosso IPTU no Brasil. O preço da taxa de habitação varia de cidade para cidade, do tamanho do apartamento e também da sua situação; mas, em geral, equivale à, no mínimo, um aluguel a mais por ano. 

Voilà! Essas são algumas das principais referências para se ter uma idéia sobre quanto custa morar na França.

 _________________________________________________________________________________

VAI VIAJAR? COMECE A PLANEJAR SUA VIAGEM AGORA MESMO:

Reserve hotéis e pousadas pelos melhores preços e sem taxa de reserva

Utilize o cupom 1001DICAS5 e garanta seu Seguro Viagem com até 10% de desconto

Transfira dinheiro para o exterior com praticidade e menores taxas

Saia do Brasil com chip pré pago e internet 4G

Compre seus ingressos para atrações, excursões e passeios com a Get Your Guide

Reserve seu carro com as melhores locadoras e pague em reais em até 12x (e sem IOF)

Vai para França ou Holanda? Reserve sua passagem pelo site oficial da KLM

Gostou? Então compartilhe este post!

14 thoughts on “Quanto custa morar na França?

  1. Oi Nikki!
    Adorei o teu post deu me uma noção o meu marido está a trabalhar em Dijon e próximo ano pretendemos ficar a viver aí , eu tenho filho de 6 anos e gostaria de saber quais são as zonas aonde tem parques para que ele possa correr!!também se conheceres alguns nomes de agência imobiliário e me pudesses facultar estaria lhe muito grata!
    Obrigada
    Nádia

  2. Adorei o texto também, deu para ter uma boa noção em relação à custos… Pretendo em Março ir morar em Montbéliard ou Besançon… Eu vou fazer um intensivo de 6 meses no C.L.A em Besançon e é muito bom saber dessas bases de preço para me preparar. Obrigado!

  3. Adorei seu texto, estou indo morar en Dijon e estou procurando cursos em alguma associação baratos de francês para estrangeiros. Conhece algum? Só encontrei na aliança francesa ou na Université de bourgogne. Esse ticket de ônibus por mes posso usar para ir de dijon para paris por exemplo? Seria por toda a França ou por região?
    Obrigada !!

    1. Olá Camila! Tudo bem? Realmente cursos de francês para estrangeiros são essas opções mesmo. Em Toulouse até cheguei a descobrir escolas que davam cursos mais em conta, porém muuuuito mais básicos. Normalmente são essas opções mesmo: Aliança ou curso na Universidade (apesar de caro, dizem que é excelente). Quanto ao ônibus, esse cartão vale somente para a cidade de Dijon. Cada cidade tem seu preço, um cartão e uma empresa diferente que opera o transporte público…

  4. Eu sei que no nosso país existem absurdos! mais eu faço uma pergunta a todos! se não fosse descontado a fração automaticamente da folha de pagamento de cada morador, seria a melhor saúde ? vou deixa minha resposta, com certeza não! sem essa taxa seria um brasil ou pior! nosso pais é espetacular! só a porra da politica que não funciona! infelizmente.

    1. Concordo plenamente! Nosso país é incrível, não fosse a política seria o melhor país do mundo. O que falta é educação de qualidade, saúde e um salário mínimo digno de realmente sobreviver com o “mínimo”.

  5. Meu sonho é viajar para frança, esse post veio na hora certa, agora é fazer as contas se realmente vale a pena!. beijos

  6. Que maravilha de post! Muito bem explicado e útil. Ano passado estava tudo certo para irmos morar em Paris mas infelizmente algumas mudanças aconteceram. Quem sabe um dia! rs. Com um post assim ajuda bastante para ter a noção de quanto custa morar na França!

  7. Ola,
    Nossa que post completinho. Adoro a França e sempre é bom ter conhecimento sobre quanto custa a vida em outro país.
    Obrigada por compartilhar.
    Bjos
    Thais

  8. oi Niki… eu gosto muito de ler estes textos que nos mostram outras maneiras de viver e de muitas maneiras, para mim, brasileira, nascida, criada e moradora do país sempre causa surpresa um país em que os cidadãos conseguem viver dignamente. Uma coisa me chama especialmente a atenção. A questão do clínico geral. É uma das coisas que sinto falta por aqui.

    bj

  9. Ótimo post! Muito bom saber o custo de vida de um país de primeiro mundo!
    No final das contas, a gente ganha mais e gasta mais também, mas a diferença estão nos serviços, que são de primeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *