O primeiro corte de cabelo (na França) a gente nunca esquece

O 1º corte de cabelo a gente nunca esquece

O primeiro corte de cabelo (na França) a gente nunca esquece

Após tantas coisas para resolver, finalmente conseguimos nos ajeitar um pouco a ponto de ficarmos tranquilos com dinheiro e podermos nos dar o “luxo” de cortar o cabelo. Aqui em Dijon o preço varia de 12 a 25 euros o corte masculino. Mas como bom judeu que sou… Achei um de 11 euros o corte! E lá vou eu cortar o meu cabelo.

– Olá, precisa marcar hora?

Bonjour. Pode sentar.

– Okei.

– Como quer cortar? (com um francês bizarro que quase não entendo nada enquanto ele já coloca aquela cobertinha apertando meu pescoço, e dando dois nós)

– Curto, mas nem tanto.

– Milímetro?

– Quase isso.

D’accord! (já pegando a máquina de barbear com o dente de altura 1)

– Não tão curto hein? E não pode deixar minha cabeça quadrada (enquanto ele já cortava toda a lateral, raspando quase zero, e me deixando com cabeça de cogumelo)

– Assim?

– Isso, mas não pode deixar quadrad…

– Depois! Depois!

Fico vendo ele raspar totalmente a lateral da minha cabeça com máquina 1 e fazendo com que todas as minhas lembranças apagadas pelo trauma de ter a cabeça grande voltasse com todas as forças.

– Você vai ajeitar em cima? Está ficando quad…

– Depois! Depois! Depois!

Pânico… Cabeça de cogumelo… Trauma de infância…

Ele começa a cortar em cima, molha um pouco e começa a lamber meu cabelo para frente ficando com aquele cabelo de criança que sofre bullying. Me deixa com franja “tigelinha”. Milimetricamente. Cabelo de tigelinha. Milimétrico. Apara minha sombrancelha… SOMBRANCELHA! Muito rápido para eu perceber e dizer algo… Já era tarde demais. Sombrancelha ralinha. Não há o que falar…

Corta aqui, corta ali, passa lâmina assustadoramente forte no pescoço, cabelo de tigelinha, ajeita a franja, corta milímetros, repete… Até que termina e fica exatamente como eu queria!

– Voilà! Parfait! C’est tout bon! Merci!

– Espera! Espera! Espera! Creme…

– Oi?

– Creme para o rosto gratuito! 

Antes mesmo de terminar a frase, ele já estava passando o creme no meu rosto da mesma forma que se unta uma frigideira com manteiga. Violentamente e aleatoriamente. Me sinto violado. Em alguns momentos ele passava o creme em meu nariz fingindo uma certa forma de massagem, gerando pânico e movimentos involuntários.

O primeiro corte de cabelo em Dijon, França - Relatos de brasileiros no exterior.
Esperando o creme endurecer na minha cara. Foto: André Polistchuck.

– É bom! É bom! Ele diz.

15 segundos de untação que pareciam minutos.

– 5 minutos! Ele diz.

Não tinha nem o que falar pois já estava com aquele creme duvidoso em meu rosto; totalmente lambuzado e sem consciência suficiente da situação para discutir em uma língua estrangeira. Okei… 5 minutos…

– Levanta disse ele…vem aqui!

Me direcionou para aquelas cadeirinhas de lavar cabelo (comuns em salão de cabelereiro). Tentei me sentar instintivamente como qualquer pessoa normal.

– Não, não, não! Vem aqui!

Não era pra me sentar. Era pra ficar do lado e colocar a cabeça embaixo da torneira. Ele começa então a lavar minha cabeça e minha cara ao mesmo tempo… como se limpasse a bola de futebol no tanque após aquela pelada no terrão de lama pós chuva… Sem exageros…

Ao final, ainda transtornado com tamanha violência e naturalidade com aquilo tudo, paguei e fui trabalhar com o cabelo do jeito que eu queria, com uma cuts fresca e macia, e com uma carterinha de fidelidade: no 10° corte, ganho 20% de desconto.

Daqui dois meses volto lá…

_________________________________________________________________________________

COMECE SUA VIAGEM AGORA MESMO:

Encontre passagens aéreas mais baratas

Reserve hotéis e pousadas pelos melhores preços

Veja como fazer câmbio com praticidade e menores taxas

Saia do Brasil com chip pré pago e internet 4G

Entenda tudo sobre o Seguro Viagem

Alugue carros pelos melhores preços

Economize e corte filas em passeios

 _________________________________________________________________________________

 

Gostou? Então compartilhe este post!

André Polistchuck

André Polistchuck, geólogo de formação e apaixonado por tudo aquilo que a geologia engloba, embora nunca tenha sido fã de trabalhar na área. Entusiasta a sempre buscar o lado bom das coisas, aspirante a escritor mesmo sem ter publicado nada, amante de histórias de viajantes e do café. Já morou no Brasil, na Bélgica e na França. É daqueles que topa trabalhar com qualquer coisa para juntar um dinheirinho para viajar o máximo possível. Um verdadeiro colecionador de conhecimento e histórias de viagens.

10 comentários em “O 1º corte de cabelo a gente nunca esquece

  • 2 de julho de 2017 em 23:19
    Permalink

    hahahahahaha, rindo muito com o teu relato. Ainda bem que tudo deu certo no final, heheheeh. Eu cortei o meu em um cruzeiro e detestei, hahahaha.

    Resposta
  • 2 de julho de 2017 em 21:16
    Permalink

    Hahahahahahha… que relato sensacional! “Cabelo de criança que sofre bullying foi sacanagem”. Mas que bom que depois deu tudo certo.

    Resposta
  • 1 de julho de 2017 em 21:44
    Permalink

    Rindo muito com o relato!
    Tô aqui tomando coragem pra fazer meu primeiro corte. Sete meses aqui e ainda não confiei em ninguém pra mexer na cabeleira (que tá um horror!!)

    Resposta
  • 1 de julho de 2017 em 15:24
    Permalink

    Me acabando de tanto rir!!! Pânico!!! Lavando como uma boa de futebol em pé na pia?!

    Ainda bem que tudo deu certo!!! Um viva às aventuras que vivemos quando nos deparamos com outras culturas!!!!

    Gosto muito de boas histórias assim! ehehe

    Resposta
  • 1 de julho de 2017 em 11:54
    Permalink

    Ai André, estou aqui a limpar as lágrimas de tanto rir. Vc não está com uma cara particularmente feliz na foto, haha mas, felizmente, tudo terminou bem!
    P.S. Se cortar o cabelo na China, provavelmente vão-lhe fazer uma limpeza às orelhas que até também bizarro

    Resposta
  • 1 de julho de 2017 em 09:08
    Permalink

    Kkkkkkkkkkkk…. Muito boa as comparações. Lembrei da infância lavando a bola suja de lama embaixo da torneira!
    Abraço do Pamda! =)

    Resposta
  • 30 de junho de 2017 em 20:52
    Permalink

    Hahaha, quem nunca passou por momentos de pânico num salão, né?!
    Hilário e divertido… adorei! 😉

    Resposta
  • 30 de junho de 2017 em 10:57
    Permalink

    kkkkkk, adorei o relato. Fiquei imaginando a cena.
    Essas experiencias são muito boas né?

    Resposta
  • 30 de junho de 2017 em 09:56
    Permalink

    hahahaha me lembrou eu criando coragem de ir cortar o cabelo nos EUA, sem conhecer nenhum dos termos necessários em inglês. haha Acabei pagando muito mais do que queria/podia, também levei uns cremes suspeitos na cara, cabelo e maos (??) mas o cabelo… O cabelo ficou divino hahah

    Resposta
  • 29 de junho de 2017 em 16:34
    Permalink

    Muito engraçado o seu relato sobre corte de cabelo,rs. Me identifiquei um pouco porque sempre que vou cortar o cabelo aqui na Suiça me dou mal,rs. Mas experiências sao sempre bem vindas né!
    Abraços

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!